• saúde
  • bela vista
  • onde comer 2

10 de agosto de 2019

Como praticar a disciplina positiva no dia-a-dia

Em qualquer relação, a comunicação é fundamental para o seu desenvolvimento. Quando pequenas, as crianças observam seus pais e/ou responsáveis comunicar-se através de signos ou palavras, mantendo-se atentas aos seus tons de voz e postura, pois é através disto que buscam suas referências para entender o mundo à sua volta.
A comunicação assertiva tem-se mostrado bastante positiva com crianças, pois envolve palavras gentis, gestos de carinho e tom de voz afetivo, elementos considerados essenciais para o desenvolvimento emocional e social da criança. Através dela, os pais fortalecem o vínculo com seus filhos, permitindo que uma relação respeitosa, colaborativa e amorosa se perpetue, além de favorecer o alcance de seus objetivos com a criança, pois ela estará mais receptiva ao que lhe for pedido.
Os pais, ao demonstrarem através do diálogo atenção, carinho e cuidado, permitirão que a criança se sinta mais segura e valorizada, criando uma relação de companheirismo.
No livro “Comunicação não-violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais”, Rosenberg nos faz refletir sobre a importância de uma comunicação assertiva para o desenvolvimento de empatia com o outro.

Quando nosso foco é escutar com atenção, tornar mais claro aquilo que o outro está sentindo e necessitando sem julgara outra pessoa, agimos com respeito, empatia e atenção.
Como exemplo, o autor cita uma mãe que, ao lidar com o filho adolescente, expressa seu descontentamento ao se deparar com as meias sujas do filho na sala, deixando claro que o que ela precisa é ordem no espaço que ambos usam.
Em seguida, sugere que o filho coloque suas meias sujas em seu quarto ou na máquina de lavar.
Aos pais, sugiro que troquem ordens expressas, como: “Faça isso, faça aquilo”, por atividades coletivas: “Vamos fazer isso juntos?”. Também sugiro que troquem frases de acusação por frases que apontam o comportamento do filho: “Você esqueceu sua toalha em cima da cama, vamos colocar no lugar?”

Bruna Giovanaz Hachterberg – Psicóloga -CRP 07/28578