• Mad Itu
  • Marlova Tonial
  • Kosmetika

11 de setembro de 2020

O tema a ser tratado neste texto ainda é motivo de preconceito e até mesmo medo, porém o suicídio representa 1,4% de todas as mortes no mundo, tornando-se, em 2012, a 15ª causa de mortalidade na população geral. Entre os jovens de 15 a 29 anos, é a segunda principal causa de morte (OMS, 2017).
No Brasil, no período entre 2011 e 2016, houve predominância de notificações de autoagressão e tentativa de suicídio na faixa etária da adolescência (10-19 anos).
Como podemos ver, os adolescentes aparecem com altos índices nas estatísticas, e por esse motivo, venho chamar atenção especial para esse grupo. Mas o suicídio pode ser prevenido, e saber reconhecer os sinais de alerta é o primeiro passo.
No caso de crianças e adolescentes, a sua condição de pessoas em situação peculiar de desenvolvimento exige ações que possam apoiá-los nesta fase e que contribuam para a prevenção da violência interpessoal e da violência autoprovocada.

Existem alguns sinais que servem de alerta para familiares e amigos, entre eles estão:
– a preocupação com sua própria morte ou falta de esperança;
– expressão de ideias ou de intenções suicidas;
– uso abusivo de drogas/álcool;
– alterações nos níveis de atividade ou de humor
– crescente isolamento de amigos/família;
– diminuição do rendimento escolar;
– autoagressão: mudanças no vestuário para cobrir partes do corpo, por exemplo, vestindo blusas de manga comprida;
– relutância em participar de atividades físicas anteriormente apreciadas, particularmente aquelas que envolvem o uso de shorts ou roupas de banho, por exemplo.

Estes são apenas alguns sinais, mas na presença deles procure ajuda especializada e ajude a salvar uma vida.

Vanessa Santos – Psicóloga – CRP :07/25298
Clínica Life – Rua Marechal Floriano 138 sala 01
Fone/whats: 99798.9721